13 de dez de 2012

Viva! Viva a Gonzagão!

Parabéns a Luiz Gonzaga, que mostrou em suas canções o valor do Nordeste. Foi cabra crítico e revolucionário de um lugar esquecido e explorado, assim de Rei do Baião a o maior Nordestino desses últimos 100 anos. Vivia! Viva ao centenário de Gonzagão!


LUIZ GONZAGA (Xilo para cordel de Gonçalo Ferreira da Silva)

LUIZ GONZAGA:
O Nordestino do Século
 É o nosso Rei do Baião
*
Chegou aquele rebento
Seu povo ficou feliz
Brilhou a luz de Luiz
Gonzaga do Nascimento
Ali naquele momento
Iniciando a missão
Valorizou seu torrão
Consolidou este vínculo,
O Nordestino do Século
 É o nosso Rei do Baião
 *
Pernambucano de Exu
Eis o nosso mensageiro
De corpo e alma um vaqueiro
Brasileiro como tu,
A flor do mandacaru
A vida de pé no chão
O que vem lá do sertão
Pra receber esse título:
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do Baião

Por outro lado eu diria
Bons nomes é que não faltam
Há outras que se destacam
Com muita sabedoria,
É grande a minha alegria
De ver alguém do povão
Equilibrando o bastão
Num verdadeiro espetáculo!
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do baião
*
Marquei no meu calendário
Dia 13 de dezembro
 A cada ano eu me lembro
Do filho de Januário,
No dia do aniversário
Fazendo a minha oração
Eu trago o livro na mão
E vivo cada capítulo,
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do Baião
*
Gibão e chapéu de couro
Uma inventiva figura
Fiel à sua cultura
Um verdadeiro tesouro,
É da boiada o estouro
O aplauso é da multidão
Pra conduzir a emoção
O amor é o grande veículo,
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do Baião
*
Ao som do seu instrumento
Seguindo a trilha sonora
Foi como quem foi se embora
Retratando o sofrimento,
Veloz, que nem pensamento
O desafio era então
Seguir naquele rojão,
Sem conhecer obstáculo,
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do baião
*
Nas asas de uma asa branca
Seguiu a perder de vista
Exercitando a conquista
Com sua conversa franca,
Onde o saber não estanca
 Eu faço uma indagação
Quem é este cidadão?
Que ampara e é sustentáculo,
O Nordestino do século
É o nosso rei do Baião.
 *
Sem nunca temer a lida
Aproveitou a viagem
E não foi só de passagem
Que esteve aqui nesta vida
 Foi triste a sua partida.
 A saga de Gonzagão
Vai nos servir de lição
Consulta aí este oráculo,
O Nordestino do Século
É o nosso Rei do Baião.

(Moraes Moreira)


Destaque