29 de jun. de 2018

Espaço Musical: Viva São Pedro.

Que São Pedro é conhecido como o santo das viúvas no sertão brasileiro isto sabemos, mas na realidade, a Igreja Católica tem São Pedro como o padroeiro dos pescadores, pois esta era sua profissão. São Pedro o primeiro Papa, foi um dos grandes nomes entre os apóstolos de Cristo, e se tornou uma figura também representante das religiões de matrizes africanas brasileiras, na representação do orixá Xangó. Em 1978, Jorge Bem Jor homenageou o santo ao gravar no seu disco A Banda de Zé Pretinho, a canção Viva São Pedro.  

São Pedro
Simão, nascido na Galileia, era filho de Jonas, e irmão de André, que como ele eram apóstolos de Jesus Cristo. A partir da intervenção de João Batista, Simão foi apresentado a Jesus, que o chamou de Kepha, que em aramaico significava pedra, que em tradução ao grego, Petros, e assim chamado de Pedro. E assim Pedro se tornaria uma das grandes figuras do cristianismo, principalmente ao catolicismo.

São Pedro assim reconhecido pela Igreja Católica Apostólica Romana, tem Pedro, como seu primeiro líder, o primeiro Papa. Em Mateus 16,18, Jesus disse: "Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei a chaves do reino dos céus, e tudo que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus." E assim o santo tão festejado no mês de junho, se tornou um símbolo do catolicismo.
Jorge Ben Jor -  A Banda do Zé Pretinho - 1978
Pedro era viúvo, e vivia com a família de sua falecida mulher. Tinha no pescado o seu ganha pão, junto com seu irmão André, que juntos se tornaram apóstolos de Cristo, e santidades da Igreja Católica. Por sua profissão se tornou além de primeiro Papa católico, o padroeiro dos pescadores, e no sertão brasileiro, o santo das viúvas.
Em 1978, o cantor e compositor Jorge Bem Jor, homenageou o santo em seu disco, A Banda do Zé Pretinho, com a canção Viva São Pedro. Onde conta um pouco da história de Pedro, e dos festejos em homenagem a ele na cultura brasileira. E com o swing da sua musicalidade, retrata um dos santos comemorados nas festas juninas.

Confira abaixo a Canção:
Viva São Pedro
Compositor: Jorge Ben Jor

Dia 29 de junho
É dia de São Pedro
Salve,salve São Pedro
Pescador da Galiléia
Salve, salve São Pedro
Amigo de Thiago e João
Salve, salve São Pedro
O porteiro do céu
Lá lá lá lá lá lá
Viva São Pedro
Lá lá lá lá lá lá
Viva São Pedro
Vou soltar um belo balão
Eu vou
Nas cores vermelho, azul e rosa
Vou fazer uma fogueira bem quente
Pois eu sei que na minha festa vai ter gente
Vai ter arrasta-pé
Pé-de-moleque
Caldo verde
Quentão
Canjica
Batata doce
Sardinha na brasa
Pipoca
Fogos
E Muita animação
Em homenagem a São Pedro
O santo dos pescadores
O padroeiro
Lá lá lá lá lá lá
Viva São Pedro
Lá lá lá lá lá lá
Viva São Pedro


5 de jun. de 2018

História em Futebol de Botão: A voz do Futebol e a primeira vez na Copa do Mundo de 1938, Brasil x Polônia.

A Copa do Mundo de 1938, era a terceira vez da Seleção Brasileira, mas foi a primeira vez, que o país parou para ouvir a narração de uma partida de Futebol. A voz de Gagliano Neto, o primeiro speaker brasileiro em Copa do Mundo, promoveu um espetáculo à parte na história do Brasil com o Futebol, estratégia da política de Getúlio Vargas na época, como popularidade de seu governo (infelizmente não conseguir o acesso da narração). Em um jogo de muitos gols, Brasil e Polônia protagonizou a partida com maior número de gols da história das Copas, 6 a 5. Destaque a Leônidas da Silva, com 03 gols, com direito o último sendo descalço, além de muita ginga com a bola nos pés. 

Brasil (dir) e Polônia (esq), oitavas de final - Copa do Mundo 1938
05 de junho de 1978, 17h:30min, diretamente do Estádio de la Meinau, em Estrasburgo, França, para a estreia da Seleção Brasileira, que enfrentara a estreante em Copa do Mundo de Futebol, a Polônia. O Brasil conta com um time talentoso, liderados pelo atacante Leônidas da Silva, e do defensor Domingos da Guia, os poloneses com o jovem atacante Willimowski, e o experiente meio-campista Szerfke. Com novidade, a partida será transmitida via rádio para o Brasil em tempo real, com a voz de Gagliano Neto.
Começa o jogo! O Brasil, que joga com um uniforme alternativo, todo azul, da o pontapé inicial. Olha o Brasil no ataque, boa toque de bola, enfiou no meio da marcação, olha o gol... Goool! Leônidas, do Brasil! Na marca dos 18 minutos do primeiro tempo, Brasil 1 a 0, joga fácil o Brasil.
O Brasil domina a partida, joga bonito, boa troca de passes, e na busca do segundo gol. Mas a Polônia demonstra reação. Partiu o atacante polonês, vai fazer... Pênalti! Domingos chega atrasado e derruba o polonês dentro da área. Partiu para cobrança Szerfke, chutou... Goool! Tudo igual, Polônia empata o jogo aos 23 minutos. O Brasil vinha bem, mas distraiu e deixou empatar.
Lá vem o Brasil, cruzamento da direita, olha o gol... Goool! Romeu, Romeu, que cabeçada, nem deixou os poloneses comemorarem, e marcou. Brasil na frente de novo, aos 25 minutos, que jogo.
O time polonês tenta reagir, mas o Brasil parece que ficou esperto depois do gol. O jogo ficou aberto, os dois times procurando o gol. Lá vem o Brasil de novo. Bola sobrou dentro da área.... Goool! Perácio, do Brasil! Que chute certeiro do atacante brasileiro, para ampliar o jogo, aos 44 minutos da primeira etapa. E fim do primeiro tempo.
Volta a partida, o Brasil cadência o jogo, e começa a querer enfeitar. Os poloneses ficam enfurecidos e quer jogo. Olha o perigo, chegou a Polônia... Goool! Dominou sem marcação, e mandou por cima do goleiro, dentro do gol, Willimowski diminui para os poloneses aos 8 minutos da etapa final. Tem que ficar atento a Seleção Brasileira, os poloneses tem qualidade.
 Olha ai, olha ai, de novo Willimowski, empata o jogo aos 14 minutos. Jogo está aberto agora Brasil tenta a reação depois de sofrer o empate. Partiu o Brasil, Perácio, Perácio Perácio... Goool! Do Brasil, novamente na frente aos 26 minutos. O jogo parece não esta decidido, a Polônia busca o empate, olha o perigo, olha o gol... Goool! novamente Willimowski, empata o jogo aos 44 minutos da etapa final. O jogo vai para a prorrogação, que cochilada do Brasil.
Leônidas no ataque brasileiro contra a Polônia - Copa do Mundo 1938
Começa a prorrogação. Leônidas da Silva puxa o time para frente. Lá vem o Brasil, Leônidas.... Goool! Brasil, Brasil, Brasil, logo no início da prorrogação, gol do Brasil, aos 3 minutos. Brasil ainda insisti, olha o gol... Goool! Leônidas, Leônidas, Leônidas, Brasil agora amplia o placar aos 14 minutos do primeiro tempo da prorrogação, 6 a 4, que jogo, que partida de Leônidas. Fim do primeiro tempo da prorrogação. Detalhe do ultimo gol do Brasil, o jogador estava descalço. Parece que Leônidas tinha estourado as chuteiras, e não deu tempo de pegar outra, e ficou descalço nos últimos minutos do primeiro tempo, e marcou o gol descalço, e o árbitro não viu.
Inicia o segundo tempo, o Brasil, parece que ficou mais atento, segura bem a partida. O jogo vai acabar, e o Brasil vence. Olha a Polônia... Goool! Novamente ele, Williamowski, gol da Polônia, aos 13 minutos da etapa final da prorrogação. 
Acabou, que jogo, que trágica classificação, Brasil 6, Romeu uma vez, Perácio duas vezes, e Leônidas três vezes, Polônia 5, Szerfke uma vez, e quatro vezes Williamowski. Uma partida para a história. O Brasil mostrou poder de reação, mas pecou muito na marcação e quando tinha a partida na mão, fez muita firula, são erros que tem que ser corrigidos. O importante agora é a classificação. Dia 09, acompanhe a partida de Alemanha x Suíça, no jogo extra para desempate, aqui no Blog Pé de Taioba.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
BRASIL: G.:Btatais; D.:Domingos da Guia e Machado;M.:Afonsinho, Zezé Procópio e Martim Silveira ;A.: Hércules, Romeu, Leônidas, Lopes e Perácio .Técnico:Ademar Pimenta.
POLÔNIA: G.:Madejski; D.:Galecki e Szczepaniak;M.:Dytko, Gora, Szerfke, Nyc;A.:Wodarz, Piontek, Piec e Willimowski. Técnico:Józef Kaluza.

História em Futebol de Botão: O campeão na busca do bicampeonato na Copa do Mundo de 1938, Itália x Noruega.

O atual campeão do mundo, e dos jogos Olímpicos, iniciava contra a Noruega, o seu bicampeonato mundial. A Seleção Italiana se tornou, como exemplo da Alemanha, propaganda para o governo fascista de Benito Mussolini, onde atletas faziam saudações ao ditado na hora do hino nacional, e foram usados para aumentar a popularidade do ditador. 

Eriksen capitão da Noruega (esq), Meazza capitão da Itália (dir) -
Copa do Mundo 1938
05 de junho de 1978, 17h, diretamente do Estádio Vélodrome, em Marselha, França, para a estreia da Seleção Italiana, que enfrentara a seleção do norte europeu a Noruega. Os italianos chegam como grandes favoritos. Defendendo o título, os campeões de 1934, e campeões olímpicos de 1936 em Berlim, Alemanha, inclusive, vencendo na semifinal os noruegueses. A Seleção Italiana conta com um elenco muito forte, os atacantes Piola e Meazza, são os dois grandes nomes desta desse time. Já os noruegueses são estreantes em Copas, mas tem um elenco forte, como o atacante Brustad, autor de 5 gols na conquista do bronze nas Olimpíadas de Berlim, e o experiente goleiro Johansen, que segurou o jogo contra os italianos na semifinal dos jogos olímpicos.
Jogada do gol de Piola, Itália x Noruega - 

Copa do Mundo 1938
Começa o jogo! A Seleção Italiana começa atacando. Olha o chute, vai sair... Defendeu Johansen, deu rebote... Goool! Ferraris, da Itália, aos 2 minutos do primeiro tempo. No rebote do goleiro norueguês, o atacante italiano não perdoou. Itália 1 a 0, no inicio do primeiro tempo.
Os italianos tem bom toque de bola, e são mais objetivos. O time norueguês tenta reagir, mas param na boa atuação de Olivieri. O goleiro italiano está salvando tudo hoje, que grandes defesas, que partida disputada, boa atuação das duas equipes. Termina o primeiro tempo.
Inicia o segundo tempo! O time italiano tenta mostrar sua força, mas para nas boas defesas de Johansen, que desta vez não larga. Os noruegueses também mostra sua qualidade, jogo equilibrado, e o gol não sai.
Lá vem a Noruega, boa jogada, a bola chega livre para Brustad, e o atacante não perdoou, e mando para o fundo do gol. Desta vez não deu para Olivieri que salvou tudo no primeiro tempo. Aos 38 minutos da etapa final, jogo empatado. E termina assim o tempo normal, como a dois anos atrás com nos jogos olímpicos em Berlim, Itália e Noruega empatam por 1 a 1, destaque que o autor do gol de empate norueguês, e o mesmo. Levando o jogo para a prorrogação.
E começa o tempo extra! O time italiano parte para cima, mostrando reação do empate no fim. Os noruegueses se seguram, parecem estarem mais sentidos com o cansaço do jogo. Olha o lance, vai fazer, Johansen espalmou, olha o gol... Goool! Piola, é da Itália, no rebote do goleiro norueguês, o atacante italiano mandou para dentro. Itália na frente aos 4 minutos do primeiro tempo da prorrogação.
Final de jogo! Que partida, as duas equipes lutaram até o fim, e como nas Olimpíadas de 1936, na semifinal quando Itália e Noruega se enfrentaram, o jogo terminou empatado por 1 a 1, destaque ao gol do atacante Brustad, que assim como em Berlim, deixou o dele também na Copa do Mundo na França. E o placar final também foi o mesmo, 2 a 1 para os Italianos, com boa atuação do goleiro Olivieri, e os gols de Ferraris e Piola.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
ITÁLIA: G.: Olivieri; D.: Rava e Monzeglio; M.: Andreolo, Locatelli e Serantoni ; A.: Ferrari, Pasinati, Meazza, Ferraris e Piola. Técnico: Vittorio Pozzo.
NORUEGA: G.: Johansen; D.: Eriksen, Holmsen e Johannesen; M.: Henriksen e Holmberg; A.: Brustad, Frantzen, Brynildsen, Kvmmen e Isaksen.Técnico: Asbjorn Halvorsen 

4 de jun. de 2018

História em Futebol de Botão: Abertura da Copa do Mundo de 1938, Alemanha x Suíça.

Á 80 anos, Alemanha e Suíça davam inicio a 3ª edição da Copa do Mundo, uma copa marcada por um período de tensão na Europa. A Alemanha vinha em campo trazendo no seu escudo o símbolo da suástica, marca do regime ditatorial da Alemanha, o Nazismo. A Seleção Alemã contava ainda em campo com jogadores da fantástica geração austríaca conhecidos como os Wunderteam, que marcaram a década de 1930, mas deixaram de disputar pela sua seleção por conta da unificação do território austríaco a Alemanha Nazista governada por Hitler. 

Cara e Coroa, abertura da Copa de 1938, jogo Alemanha x Suíça
04 de Junho de 1938, ás 17h, diretamente do Estádio Parc des Princes, em Paris, capital da França para a partida de abertura da Copa do Mundo de Futebol. De um lado a Seleção da Alemanha, time que vem bastante forte com a junção de atletas austríacos, com a recém-unificação territorial entre os dois países dados com a intervenção do governo nazista de Adolf Hitler, que é saldado no estádio pelos atletas alemães, destaque para o goleiro austríaco Raftl, e o atacante alemão Gauchel. Do outro lado a Suíça, que tem como destaque o atacante Abegglen, irmão de Max Abegglen, vice artilheiro e medalha de prata nas Olimpíadas de 1924, aqui mesmo na França.
Começa o jogo! Os alemães trabalham melhor a bola, estão em busca do gol a todo o momento. Que drible, olha o cruzamento... Fica com ela o goleiro. Chutou de longe, no travessão, saiu o goleiro. A Seleção Alemã bem melhor no jogo.
Bom toque de bola, a bola vira de um lado para o outro. Entrou na área, vai cruzar, mandou por baixo, olha o gol. Goool! Alemanha, Gauchel, abre o placar aos 29 minutos da etapa inicial. Depois de tanta pressão, os alemães passaram pela defesa forte da Suíça.
Lance de ataque da Seleção Alemã, contra a Suíça 
- Copa do Mundo 1938
Lateral para os suíços, passou de lado, tentou a enfiada, olha o vacilo da defesa, lá vem o cruzamento, de cabeça.... Goool! Empata o jogo, gol da Suíça, gol Abegglen, tudo igual. Nas poucas chances da Suíça, o empate saiu, tudo igual agora aqui no Parc des Princes.
O placar de 1 a 1 insistiu, com jogo de ataque e defesa, a Suíça conseguiu segurar o bom ataque Alemão, e mesmo perdendo soube ter paciência e arrancar o empate. Com o placar teremos o jogo extra de desempate, será dia 09, ás 18h, e estaremos na cobertura deste grande jogo aqui no Blog Pé de Taioba, e amanhã não perca, a atual campeã Itália x Noruega ás 17h, e o Brasil que enfrenta a Polônia.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
ALEMANHA: G.:Ralft; D.:Janes e Schmaus; M.:Kitzinger. Kupfer e Mock; A.:Gellesch, Lehner, Passer, Gauchel e Hahnemann. Técnico:Sepp Herberger.
SUÍÇA: G.:Huber; D.:Lehmann e Minelli; M.: Lörtshcer, Springer e Vernati; A.:Amado, Bickel, Abegglen, Wallaschek, Aeby. Técnico:Karl Rppan.

História em Futebol de Botão: Copa do Mundo de 1938

E começa a Copa do Mundo de 1938. Á 80 anos, começava a Copa do Mundo de 1938 na França, um período de transição da profissionalização do futebol, onde não tinha numerações nas camisas dos atletas. Ao longo de onze postagens, iremos contar aqui no Blog Pé de Taioba, como foi a Copa pré-guerra, marcada pelas tensões de governos autoritários, o nazismo e o fascismo na Europa, com os países que traziam um discurso de democracia e liberdade. O Brasil tinha seu primeiro grande momento na história da Copa do Mundo, e a consagração de uma lenda, Leônidas da Silva, o Diamante Negro.   

A 3º Copa do Mundo de Futebol foi em territórios francês, iniciada em 04 de junho, e encerrada em 19 de junho de 1938, tendo como grande vitorioso a Seleção Italiana, bicampeão mundial nesta edição, vinda de um ouro olímpico. Uma Copa do Mundo, marcada por tensões pré Segunda Guerra Mundial, e a discussão política do nazismo e o fascismo, desde os conflitos entre a torcida, a posição política das Seleções Alemã, e Italiana.
Entraram em campo 15 seleções, destaque para a ausência da Áustria, que tinha sido pouco tempo anexada ao território Alemã, diante a ocupação do exercito nazista, comandada por Adolf Hitler. O que acabou tirando uma das grandes favoritas da copa, o Wunderteam, assim apelidada a seleção austríaca, que contava com jogadores talentosos como Sindelar, que se recusou jogar para a seleção de Hitler, e teve como consequência anos depois, a sua morte. Outros jogadores acabaram incorporando o a Seleção Alemã.
A competição teve como modelo jogos de mata-mata, iniciando nas oitavas de final, com os confrontos entre: Itália x Noruega, França x Bélgica, Brasil x Polônia, Tchecoslováquia x Holanda, Hungria x Índias Orientais Holandesas, Suíça x Alemanha, Cuba x Romênia, e a Suécia que iria enfrentar a Áustria, venceu pelo único W.O. da história das copas, pelo abandono dos austríacos da competição.
As partidas que terminassem em empate teriam um jogo extra.  Na época não existiam disputas de pênalti, assim foram jogos como Suíça x Alemanha, Cuba x Romênia nas oitavas, e Brasil x Tchecoslováquia nas quartas.
Após eliminar Noruega, vencer os donos da casa, a França, ganhar na malandragem contra o Brasil, e superar a grande equipe da Hungria na final, os italianos liderados por Piola, o grande craque da competição, e Meazza, foram Bicampeões da Copa do Mundo. Um marco que trazia a glória de uma seleção inquestionável, mas as tensões de um time marcado pelo fascismo do governo de Benito Mussolini, e do inicio de uma grande guerra, que interferiu nos mundiais seguintes na década de 1940, retornando apenas em 1950, no Brasil.
E falando de Brasil, foi a primeira grande Copa da Seleção, que perdeu para a malandragem italiana nas semifinais. Mas teve o artilheiro da Copa, com 07 gols, o lendário Diamante Negro, Leônidas da Silva, que fez gol descalço e tudo nesta grande copa.

Segue abaixo os modelos para botão da Campeã Itália:

ITÁLIA: Goleiros: Olivieri, Ceresoli e Masetti; Defensores: Rava, Foni e Monzeglio; Meio-campistas: Andreolo, Locatelli, Serntoni, Chizzo, Donati, Genta, Olmi e Perazzolo; Atacantes: Piola, Meazza, Ferrari, Calaussi, Biavati, Pasinati e Bertoni, Técnico: Vittorio Pozzo.

Segue os links dos jogos contados desta copa no Blog Pé de Taioba.

3 de jun. de 2018

História em Futebol de Botão: Inicia a jornada brasileira e as polêmicas na Copa do Mundo de 1978, Brasil x Suécia.

Chegou à vez do Brasil e o início da Copa do Mundo de 1978, a mais injustiçada copa para a Seleção Canarinho. A história a seguir retrata um Brasil e Suécia, e o que o time brasileiro iria sofrer durante a Copa do Mundo na Argentina, fazendo com que esta copa se tornasse uma das mais polêmicas de todas. 

Brasil (dir), Suécia (esq), 1º jogo, Grupo 3 - Copa do Mundo 1978
03 de junho de 1978, ás 13h:45min, diretamente do Estádio José María Minella, em Mar del Plata, na Argentina, para um grande clássico que já decidiu Copa do Mundo, em 1958. O Brasil tricampeão do mundo, tendo como seus grandes nomes, o meio-campista Rivelino e o goleiro Emerson Leão, com dois mundiais no currículo, e estreantes em copas, o atacante Reinaldo e o meia Zico, que são grandes promessas para a competição. Do outro lado a Suécia, vice-campeão do mundo, que não vem com favoritismo de outras copas, com uma geração bem abaixo, mas vamos ficar de olho no zagueiro Roy Andersson, e os atacantes Sjöberg e Bosse Larsson.
 Começa o jogo! Dois times trabalhando bem a bola. Olha a Suécia no ataque, bom toque de bola envolvendo o Brasil, gira para um lado e para o outro. Olha a enfiada de bola, olha o gol... Goool! Sjöberg, pra a Suécia, que toque de bola, que enfiada de bola, a Suécia abre o placar na marca dos 37 minutos de jogo.
Ataca o Brasil, Tonhinho na direta, lá vem cruzamento. Marcação apertou, tocou para traz para o chara, Toninho Cerezo, olha o cruzamento... Reinaldo nela, olha o gol... Goool! É do Brasil! É de Reinaldo, gol, gol, gol. Tudo igual aos 45 minutos da etapa inicial. Bom toque de bola, cruzamento de Cerezo, para o companheiro de time Reinaldo, que na trombada ganhou, e mandou para dentro. Brasil 01, Suécia também 01, tudo igual.
Gol anulado de Zico sobre Suécia - Copa do Mundo 1978
Começa o segundo tempo. Jogo pegado, marcação aumentou, e os times trabalham a bola, mas com dificuldade de passar pela marcação. Escanteio para o Brasil. São 45 minutos de jogo, deve ser o último lance do jogo, Nelinho na batida. Mandou na área, olha o gol... Goool! Virada do Brasil... Zico é o nome dele. Parou, parou, parou. O juiz acabou o jogo no cruzamento? É isto mesmo, o árbitro autorizou a cobrança, e encerrou quando Zico cabeceou para dentro do gol.
Que papelão, final de jogo Brasil 01, gol de Reinaldo, Suécia também 01, gol de Sjöberg. O Brasil sai do campo revoltado, pela lambança do árbitro que terminou o jogo, após a cobrança de escanteio do Brasil, que resultaria no gol da virada marcada por Zico. Segue o jogo, não perca o próximo jogo comentado aqui no Blog Pé de Taioba, dia 06, ás 19h:15minutos, Argentina e França.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
BRASIL: 1.Leão; 2.Toninho, 3.Oscar, 4.Amaral e 6.Edinho; 5.Cerezo, 17.Batista e 8.Zico;18.Gil, 10.Rivelino e 9.Reinaldo. Técnico:Cláudio Coutinho
SUÉCIA: 1.Hellström; 5.Erlandsson, 4.Nordqvist, 2.Borg e 3.Andersson; 6.Tapper, 9.Lannart Larsson, 7 e Linderoth; 10.Sjöberg, 8. Bosse Larsson e 11.Wendt. Técnico: Georg Ericson

2 de jun. de 2018

História em Futebol de Botão: A estreia da anfitriã na Copa do Mundo de 1978, Argentina junto sua fanática torcida, x Hungria.

La Albiceleste está em casa. Depois de Uruguai (1930), Brasil (1950), Chile (1962), os argentinos fazem sua estreia em Copa do Mundo em seu país. Um grande momento para um país que respira futebol, mas marcado por um período sombrio, pela Ditadura Militar na Argentina e o governo de Jorge Rafael Videla estabelecido com um golpe de Estado em 1978. Mas vamos falar aqui de futebol, e com uma estreia complicada, mais complicada diante sua torcida. 

Gol de Luque, Argentina - Copa do Mundo 1978
02 de junho de 1978, ás 19h:15min, diretamente do Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires, Argentina, para a estreia da anfitriã, a Seleção Argentina, contra um adversário difícil, a Hungria. Empurrada pela torcida, que lotava as arquibancadas com mais de 70 mil torcedores, o time argentino era comandado por grandes craques como Kempes, Fillol, Housemen, o estreante Passarella, enfrentando os húngaros liderados por Nagy campeão olímpico em 1968.
Começa o jogo! Lá vem a Hungria, trabalhando a bola, olha a investida de bola, sobrou para Zambori, de primeira, olha o gol, rebateu o goleiro, sobrou... Goool! Csapó, gol da Hungria, olha o vilão pintando aos 10 minutos do primeiro tempo. A Argentina está sentida, mas a torcida ainda acredita.
Falta para Argentina, três na bola, parece uma jogada ensaiada. Partiu o primeiro, passou, veio o segundo rolou para trás, Kempes chutou, goleiro espalmou, olha o rebote... Goool! É da Argentina, empata a partida aos 15 minutos do primeiro tempo, Luque para os donos da casa, muita festa da torcida. Pressão agora é da La Albiceleste.
Agradecimento dos jogadores argentinos a torcida - Copa do Mundo 1978
Começa o segundo tempo, jogo fechado, os húngaros marcam forte os argentinos não tem espaço. Mas os donos da casa são empurrados por sua torcida, e muita pressão. Olha a falta, expulsão de Törócsik da Hungria. Cobrança no meio campo, Gallego com a bola, lançamento lindo, Luque deu passe com o peito, recebeu na frente, goleiro espalmou, sobrou... Alonso, Goool! Argentina vira, e leva torcida a loucura no Monumental. O camisa 1, ficou com ela livre e sem goleiro, 37 minutos do segundo tempo, La Albiceleste mostrou sua força e virou.
Fim de jogo, Argentina de virada 2, Hungria que se fechou no segundo tempo 1. A Seleção Argentina mostrou poder de reação, mas terá grandes desafios pela frente, dia 06 é contra a França. Amanhã não percam é a estreia do Brasil, que promete muita emoção contra a Suécia, é as 13h:45min, aqui no Blog Pé de Taioba.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
ARGENTINA: 5.Fillol; 15.Olguín, 7.Luis Galvan, 19.Passarella e 20.Tarantini; 6.Gallego, 2.Ardiles, 10.Kempes e 21.Valencia; 14.Luque e 9.Houseman. Técnico: César Luis Minotti.
HUNGRIA: 1.Guydar; 4.Tóth, 3.Kocsis, 6.Kereki e 2.Török; 5.Zombori, 18.Nagy, 10.Pintér e 8.Nyilasi; 13.Csapó e 9.Törócsik. Técnico: Lajos Baróti

História em Futebol de Botão: A estreia de lendas na Copa do Mundo de 1978, Itália x França.

Itália e França são com certeza um dos maiores clássicos do Futebol, com rivalidade além dos campos, que envolve várias lendas do futebol. E logo na primeira partida da Copa do Mundo de 1978, as duas seleções se enfrentaram, tendo a estreia em mundial de grandes craques, Paolo Rossi e Marco Tardelli pela Gli Azzurri, e Michel Platini e  Bernard Lacombe pela Les Bleus. 

Cartão amarelo para Platini, França - Copa do Mundo 1978
02 de junho de 1978, 13h:45min, diretamente do Estádio José María Minella, em Mar del Plata, Argentina, para a estreia de duas grandes seleções, a Itália bicampeã do mundo (1934 e 1938), e a França que desde a copa de 1938, quando perdeu em casa nas quartas de final para o adversário de hoje, vem protagonizando uma grande rivalidade contra os vizinhos italianos. Vamos ficar de olho nestas duas grandes seleções, que trazem importantes renovações no elenco, como o jovem meio-campista Platini pelos franceses, que faz sua estreia em mundiais, e o jovem atacante Rossi pelos italianos, que ainda conta com a experiência do grande goleiro Zoff.
Começa o jogo! O time italiano tenta o ataque, o goleiro francês fica com ela e já sai rápido, bela troca de bola dos Les Bleus, a bola chega a esquerda com Six, olha o cruzamento! Gooool! É da França, Lacombe de cabeça, com menos de 1 minuto de jogo. Com certeza promessa de ser o gol mais rápido desta Copa.
Gol de Paolo Rossi, Itália - Copa do Mundo 1978
Falta para Itália no meio campo, Gentile na cobrança.  Mandou para o outro lado, chegou na esquerda, olha o cruzamento, desvio, cabeceou no travessão voltou no zagueiro, vai entrar contra, bateu no rosto do atacante que tirou. Voltou em Rossi... Gooool! Da Itália, que confusão, que gol, é empate aos 28 minutos do primeiro tempo. Gentile cruzou a bola para área, sobrou para Cabrini a esquerda, que cruzou a bola foi desviada no caminho que sobrou para Delger que mandou no travessão, no rebote o zagueiro que tentou tirar já ia mandando para dentro, quando a bola bateu no rosto de Dalger que estava perdido dentro da pequena área, mas a bola sobrou para Paolo Rossi, que confusão.
Olha a Itália, tabela linda de Gentile com Rossi, lá vem o cruzamento. Cruzou a área, sobrou para Zacarelli olha o gol... Goool! Viradinha da Itália, que jogo. Zacarelli que entrou no segundo tempo, colocando a Itália na frente, aos 7 minutos da etapa final.
Termina o jogo, com boa atuação das duas equipes, mas com a Itália mostrando sua força em uma virada insistente, Gia Azzurri venceu por 2 a 1. Vamos ficar de olho nestas equipes. E não perca logo mais as 19h:15min a estreia da anfitriã da casa contra a Hungria, que estão no grupo A, junto a Itália e França.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:

ITÁLIA: 1.Zoff; 2.Bellugi, 5.Gentile, 8.Scirea e 3.Cabrini; 14.Marco Tardelli, 10.Benetti, 9.Antognoni e 16.Causio; 21.Rossi e 18.Battega. Técnico: Enzo Bearzot.
FRANÇA: 21.Bertrand-Demanes; 7.Rio, 4.Janvion, 8.Trésor e 3.Bossis; 11.Michel, 15.Platini e 10.Guillou; 17.Lacombe, 16.Dalger e 19.Six. Técnico: Michel Hidalgo

1 de jun. de 2018

História em Futebol de Botão: Abertura da Copa do Mundo de 1978, Alemanha x Polônia.

A abertura da Copa do Mundo de 1978 foi feita pela Alemanha a campeã do mundo em 1974, contra a Polônia. Um clássico em reencontro após a semifinal de 1974, quando os alemães venceram por 1 a 0, e consequentemente venceram o título sobre a Holanda, enquanto os poloneses ficaram em terceiro lugar, ao superar o Brasil. 

Seleções da Polônia (esq.) e Alemanha (dir), na
Abertura da Copa do Mundo 1978
1º de Junho de 1978, ás 15h, diretamente do Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, capital da Argentina, para a partida de abertura da Copa do Mundo de Futebol. De um lado a atual campeã, a Seleção da Alemanha, liderada pelos remanescentes da Copa do Mundo de 1974, na própria Alemanha, o goleiro Maier, o defensor Vogts e o meia Bonhof. Do outro lado a Polônia, liderada pelo goleiro Tomaszewski, e o artilheiro da última copa, o atacante Lato, ambos querendo revanche contra os alemães.
Defesa do goleiro Maier, Alemanha - Copa do Mundo 1978
Começa o jogo! Muita correria, marcação forte, e muitas chances desperdiçadas. A Polônia liderada pelo seu grande craque, Leto, assustando com jogadas de bolas paradas, e chutes a longa distância. Já a Alemanha, buscando o contra-ataque, com Bonhof articulando no meio, e Vogts e Maier segurando atrás.
O placar de 0 a 0 insistiu, decepcionando a torcida que esperava ver gol, mas foi contemplada com uma boa partida de futebol com duas grandes seleções, que irão mostrar muito nesta Copa. Não perca a próxima partida, Amanhã ás 13h45min, Itália x França, ás 19h:15min a dona da casa, Argentina x Hungria, aqui no Blog Pé de Taioba.  

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:

ALEMANHA: 1.Maier; 2.Vogts, 5.Kaltz, 4.Rüssmann e 8.Zimermmann; 6.Bonhof, 20.Hansi Müller, 15.Beer e 10.Flohe; 7.Abramczik e 9.Fischer. Técnico: Helmut Schön
POLÔNIA: 1.Tomaszewski; 3.Maculewicz, 9.Zmuda e 4.Szymanowski; 5.Nawalka, 6.Gorgon, 11.Masztaler e 12.Dayna; 16.Lato e 17.Szarmach e 19.Lubanski. Técnico: Jacek Gmoch.

História em Futebol de Botão: Copa do Mundo de 1978

E começa a Copa do Mundo de 1978. A 40 anos, começava a Copa do Mundo de 1978 na Argentina, ao longo de treze postagens, iremos contar aqui no Blog Pé de Taioba, como foi a considerada mais polêmica de todas as Copas, em pleno período de ditadura militar na Argentina, e como o Brasil terminou em terceiro lugar, sendo o único invicto da competição.

A 11º Copa do Mundo de Futebol foi no continente sul-americano, em territórios argentinos, iniciada em 1º de junho, e encerrada em 25 de junho de 1978, tendo como grande vitorioso a Seleção Argentina anfitriã de uma das Copas do Mundo mais polêmicas da história. Em plena Ditadura Militar Argentina, houve varias denuncias de manipulação de resultado a favor dos anfitriões, além de casos de doping, violência e ameaças.
Entraram em campo 16 seleções, divididas na primeira fase em quatro grupos: 1) Argentina, França, Hungria e Itália; 2) Alemanha, México, Polônia e Tunísia; 3) Áustria, Brasil, Espanha e Suécia; e 4) Escócia, Irã, Holanda e Peru. Tendo classificados para a segunda fase 08 equipes, divididas em dois grupos: A) Alemanha, Áustria, Holanda e Itália; e B) Argentina, Brasil, Peru e Polônia. No final desta fase, os dois segundos lugares, Brasil e Itália disputaram o terceiro lugar da competição, e o título foi disputado pelos dois melhores de cada grupo, a Argentina e a Holanda.
Tendo no final a consagração polêmica dos anfitriões liderados pelo craque Mario Kempes, melhor jogador da competição além de artilheiro. E o Brasil terminando de forma invicta em terceiro lugar, onde muitos deram a Seleção Brasileira, como campeã moral da competição.

Segue abaixo os modelos para botão dos três uniformes da Campeã Argentina:
ARGENTINA: 1. Alonso, 2. Ardiles, 3.Baley, 4.Bertoni, 5.Fillol, 6.Gallego, 7.Luis Galvan, 8.Rubén Galván, 9.Houseman, 10.Kempes, 11.Killer, 12.Larrosa, 13.Lavolpe, 14.Luque, 15.Olguín, 16.Ortiz, 17.Oviedo, 18.Pagnanini, 19.Passarella, 20.Tarantini, 21.Valência e 22.Villa. Técnico: César Luis Menotti.

Segue os links dos jogos contados desta copa no Blog Pé de Taioba.(Em manutemção)


Destaque