13 de jul de 2018

Espaço Musical: Rock ‘n’ Roll

O Dia Mundial do Rock surge em 1985 quando Phill Colins, da banda Genesis mencionou no festival Live Aid, que tinha como proposta combater o problema da fome na Etiópia, que aquele dia 13 de julho era o dia do Rock. Mas está data é comemorada mesmo no Brasil, já que nenhum outro país tem esta data como certa. O Dia do Rock no Brasil se tornou uma data de comemoração do ritmo musical mais ouvido no mundo, e que se renova a cada tempo. E em homenagem a este dia, deixo aqui uma canção de Raul Seixa, não só para homenagear o Rock ‘n’ Roll, mas a dois grandes nomes do Rock das Taiobas, Romarão e Adrianão (in memoriam).  

Marcelo Nova e Raul Seixas
No dia 13 de julho de 1985, o vocalista da banda britânica Genesis, Phill Colins mencionou que aquele dia era o “Dia do Rock”. Isto porque naquele dia várias bandas se apresentavam no festival Live Aid, organizado pelo cantor e compositor Bob Geldof, que tinha como proposta arrecadar fundos financeiros para projetos humanistas contra a fome e pobreza na Etiópia. Ao mesmo tempo Filadélfia nos Estados Unidos, e Londres na Inglaterra, rolava o festiva.
Neste grande evento de Rock, e por uma causa humana, faz todo o sentido a fala de Colins, era um “Dia do Rock”. Mas curiosamente só no Brasil esta data é comemorada de fato. E em todo lugar do país, o Rock é celebrado, desde os que gostam de uma boa música, aqueles que vivem toda a filosofia do Rock e suas diversidades.
Em Taiobeiras o Rock desde as décadas de 1960 vem sendo propagado pela juventude da época, e ao longo de outras gerações. Na década de 2010 um movimento ganhou forças, o Rock das Taiobas, que hoje tem espaços em eventos culturais, só se tornou realidade por figura como Romário Barbosa, o Romarão.
Apesar das dificuldades, e de ver muitas vezes um declínio do movimento, principalmente quando jovens talentos da cidade saem em busca de melhores oportunidades, ou até mesmo vão para outros ritmos por questões financeiras, Romarão todo ano sobe nos palcos como seu “Rock das Taiobas, Porra!”, e da oportunidade a garotada não só de conhecer este ritmo, mas de mostrar seus talentos.
Adrianão do Rock (sentado de vermelho)
Em 2018, após o último evento de Rock realizado na cidade em maio, faleceu um dos grandes amantes do Rock, Adriano Sérgio Brito, ou simplesmente Adrianão do Rock. Adrianão era um destes que vivia a filosofia do Rock, e como um rockeiro das antigas, tinha como um dos maiores ídolos Raulzito. Em homenagem a Adrianão e o Rock, fica aqui a música Rock ‘n’ Roll, gravada em 1989 no disco Panela do Diabo, último disco feito por Raul em estúdio, junto com seu grande parceiro Marcelo Nova.
Uma canção que traz todo o sentimento de Raul e Nova com esta filosofia chamada de Rock ‘n’ Roll. Mostrando porque Raul, que fez toda esta salada musical, é considerado por muitos o maior do Rock Brasileiro. Respeitado e amado por uma multidão, que gosta do Rock e trouxe ele para a musicalidade brasileira. Na música ele provoca desde a sua época de jovem, e seus ídolos, até o final de sua carreira.

Confira abaixo a Canção:
Rock ‘n’ Roll
Compositor/Cantor: Raul Seixas e Marcelo Nova

Há muito tempo atrás, na velha Bahia
Eu imitava Little Richard e me contorcia
As pessoas se afastavam pensando
Que eu tava tendo um ataque de
Epilepsia (de epilepsia)

No teatro Vila Velha,
Velho conceito de moral
Bosta Nova pra universitário,
Gente fina, intelectual
Oxalá, oxum dendê oxossi de não sei
o quê. (de não sei o quê)

Oh, rock'n'roll, yeah, yeah, yeah,
That's rock'n'roll

A carruagem foi andando e uma década depois
Nego dizia que indecência era o mesmo
Feijão com arroz

Eu não podia aparecer na televisão
Pois minha banda era nome de
Palavrão (nome de palavrão)

E lá dentro do camarim no maior abafamento
A mulherada se chegando
Altos pratos pratos suculentos
E do meu lado um hippie punk
Me chamando de traidor do movimento
(vê se eu aguento)
(Traidor do movimento)

Oh, rock'n'roll, yeah, yeah, yeah,
that's rock'n'roll

Alguns dizem que ele é chato
Outros dizem que é banal
Já o colocam em propaganda
Fundo de comercial
Mas o bicho ainda entorta minha
Coluna cervical (coluna cervical)

Já dizia o eclesiastes
Há dois mil atrás
Debaixo do sol não há nada novo
Não seja bobo meu rapaz
Mas nunca vi Beethoven fazer
Aquilo que Chuck Berry faz
(Chuck Berry faz)

Roll olver Beethoven, roll over Beethoven,
Roll over Beethoven,
Tell Tchaikovsky the news

E pra terminar com esse papo
Eu só queria dizer
Que não importa o sotaque
e sim o jeito de fazer
Pois há muito percebi que
Genival Lacerda tem a ver
com Elvis e com Jerry Lee (Elvis e Jerry Lee)

Por aí os sinos dobram,
Isso não é tão ruim
Pois se são sinos da morte
Ainda não bateram para mim
E até chegar a minha hora
Eu vou com ele até o fim
(com ele até o fim)

Oh, Rock'n'roll, yeah, yeah, yeah...

12 de jul de 2018

História em Futebol de Botão: A França e a conquista do Mundo do Futebol, França e Brasil na Final da Copa do Mundo de 1998.

O dia 12 de julho de 1998 talvez até hoje ficasse incerto o que houve a muitos brasileiros e amantes do futebol brasileiro. A convulsão de Ronaldinho, as teorias de compra de resultado do jogo, a fala recente de Michel Platini que na época era o presidente da Federação Francesa de Futebol, que disse 20 anos depois que fizeram ajeito na fase de grupos para possibilitar uma final entre Brasil e França, da ainda mais polêmica aquela grande final. O certo é que para os franceses é o dia mais importante para o futebol para o país que sediou aquele Mundial, e estava engasgado com a derrota em 1938 para a Itália, quando sediaram pela primeira vez a Copa. E a França de Zidane, que brilhou na hora certa, se consagrou pela primeira vez Campeã do Mundo. 
França Campeã do Mundo de 1998- França.
Ronaldo, Brasil x França - Copa do Mundo de 1998
12 de Julho de 1998, ás 21h, diretamente do Estádio de France, em Saint-Denis, França, para a grande final da Copa do Mundo de Futebol, que terá o duelo entre a anfitriã a Seleção Francesa, contra a atual campeã do mundo a Seleção Brasileira. A França que chega a tão sonhada final contra o Brasil, tem o apoio de sua torcida. Com a expulsão de Blanc, Jacquet coloca o zagueiro do Chelsea, Leboeuf que já fez uma boa partida contra a Dinamarca na fase de grupos. Os demais são os mesmo contra a Holanda, tendo grande expectativa em Zidane, que ainda está devendo na competição, e destaque é Thuram que marcou os dois gols na vitória contra a Croácia na semifinal. Já o Brasil, passou um grande susto pela manhã, com a convulsão de Ronaldinho, e que deixou incerta a escalação do principal nome da Seleção, mas o que parece Zagallo confirma o camisa 9. Assim o Brasil é o mesmo dos últimos jogos, e o autor do gol brasileiro sobre a Holanda vai para campo, assim como o goleiro do tetra, que mostrou novamente sua competência nos pênaltis. E que o grande espetáculo comece, franceses e brasileiros ansiosos, o mundo está ansioso para este grande duelo.
Começa o jogo! A França empurrada pela torcida parte para cima. Bola no meio para Zidane... Olha o perigo..Tocou de baixo das pernas de Aldar... Guivarc’h chegou... Júnior Baiano.... Abafou... Fica mansa para Taffarel. Olha que perigo já no comecinho, Zidane mostrando que é perigoso.
O Brasil tenta da reposta. Rivaldo com ela. Roberto Carlos passou pela esquerda e a bola é para ele. Vai mandar na área.... Mandou Direto.... Para fora.... Tentou surpreender Barthez, mas a bola foi forte de mais, e caiu encima do gol.
Dunga agora com ela. Tocou aberto para Ronaldinho. Ele parte para cima de Thuram.... jogo na frente ganhou na corrida.... Olha o cruzamento.... Barthez... Bebeto... Fica com ela o goleiro francês que quase entrega o gol. Boa jogada brasileira. E o Ronaldinho parece que está bem para o jogo, e que a convulsão mais cedo foi só um susto.
Escanteio para o Brasil. Leonardo mandou na área.... Olha a cabeçada... Barthez! Foi lá encima para evitar o gol. Cabeçada ali de Rivaldo. O Brasil parece está tomando conta do jogo.
Escanteio para a França. Roberto Carlos pressionado na linha de fundo por Karembeu acabou cedendo o escanteio de bobeira. Petit na cobrança, para mandar fechada. Mandou na área.... Subiu... Olha o gol.... Goool! É da França! Zidane! O camisa 10 subiu mais alto e aos 27 minutos do primeiro tempo, fez seu primeiro gol na Copa e o primeiro da grande decisão. Que hora para desencantar na competição.
A França agora joga solta. Karembeu no meio... Ajeitou dali... Mandou uma bomba... Explode em Júnior Baiano.... Sobrou para Petit... Para fora! Que bobeira da defesa brasileira. O meia do Real Madrid, mandou uma bomba, a bola explodiu no zagueiro palmeirense e sobrou Petit, que isolou a chance de ampliar para a França.
O Brasil sofreu um apagão no jogo. Thuram mandou um belo lançamento... Subiu mal Júnior Baiano... Sobrou livre para Guivarc’h... Chutou... Taffarel! Salva o Brasil! Que chance perde a França, que defesa de Taffarel.
Vai acabar o primeiro tempo, e a França tem escanteio. Djorkaeff na bola. Mandou na área... Ninguém subiu... Goool! É da França! Zidane, ele de novo. A bola mandada no meio da área, ninguém subiu, mas ela achou a cabeça de Zidane, que pela segunda vez de cabeça marca, segundo dele no jogo e na Copa nos acréscimos do primeiro tempo. França 2 a 0 e acaba assim o primeiro tempo, onde o Brasil começou bem, mas apagou no jogo, e ai só deu França.
Começa a etapa final! E o Brasil vai ter que ir para cima, e Denílson em Campo no lugar de Leonardo. Já a França vai mantém os mesmo do primeiro tempo. E Zidane logo na grande final mostrou porque era o grande nome francês da Copa.
O Brasil parte com velocidade. Bola para Roberto Carlos na esquerda. O lateral madrileno chega rápido, manda de primeira o cruzamento.... A bola passa por todo mundo... Chegou nele, Ronaldinho... Ajeitou chutou... Barthez! O goleiro francês fecha o gol e segura firme a grande chance brasileira. Ronaldinho teve tempo de ajeitar, mas a bola foi para as mãos do goleiro francês.
Bola lançada da defesa por Leboeuf... Viajou... Até a área brasileira... Cafu tenta passar.... Passo mal... Deu de graça.... Djorkaeff... Perdeu! Que chance perde a França. Em uma lambança da defesa, a bola ficou limpa para o meia-atacante da Inter de Milão, que isolou.
Zidane caído, e a torcida francesa pressionando o Brasil para mandar a bola para fora. Rivaldo manda para a lateral, e Edmundo fica louco com o fair play do companheiro. Ele aponta dizendo, “estamos perdendo de 2 a 0”, e mostra toda sua irritação.
Olha a França, bola no meio... Que passe de primeira de Djorkaeff... Dugarry recebeu
Zidane, França x Brasil - Copa do Mundo de 1998
livre, é ele e Taffarel.... Bateu... Para fora! Que chance da França ampliar. Só da França, mesmo com um a menos. E o Brasil está perdido em campo. Que drama.
O jogo vai acabar. Para marcar o de honra, parte o Brasil... Edmundo no meio, passou da marcação, achou Denílson livre na área... Bateu... No travessão! A bola na entra! Boa jogada dos dois que entraram no segundo tempo, Edmundo Animal, mostrou sua vontade, e tocou bela bola para o atacante são-paulino, que chutou, mas deu azar, a bola bateu na trave.
Vai acabar! A França vai para o último ataque... Bola com Vieri... De primeira para Petit... Saiu Taffarel... Chutou... Goool! É da França! Petit, nos acréscimos da etapa final , para sacramentar a vitória francesa. Bela troca de passe, e bela enfiada de bola de Vieri, que achou Petit, que mandou para o fundo do gol. Vai acabar!
França Campeã do Mundo de 1998 - França
Acabou! A França é pela primeira vez, Campeã do Mundo! Em casa junto a sua torcida, os franceses fazem uma grande festa, Zidane que era questionado por não ter feito um grande jogo, fez logo na final, não só uma grande partida, mas dois gols, e com mais um de Petit, a França foi superior ao Brasil de Ronaldinho, que apesar dos problemas que sofreu mais cedo, ficou apagado no jogo, e quando teve a chance não conseguiu. Méritos a França, que fez um grande jogo, e uma grande Copa, e se consagra Campeã do Mundo. Obrigado a todos por acompanhar esta grande Copa aqui no Blog Pé de Taioba.

Segue abaixo os modelos para botão do jogo:
FRANÇA: 16.Barthez; 15,Thuram 18.Leboeuf, 8.Desailly e 3.Lizarazu; 7.Deschamps, 19.Karembeu, 17.Petit e 10.Zidane; 6.Djorkaeff e 9.Guivarc’h. Técnico: Aimé Jacquet.
BRASIL. 1.Taffarel; 13.Zé Carlos, 4.Júnior Baiano, 3.Aldair e 6.Roberto Carlos; 5. César Sampaio, 8.Dunga, 18.Leonardo e 10.Rivaldo; 20.Bebeto e 9.Ronaldinho. Técnico: Zagallo.

Destaque