16 de jul de 2013

Manifestações: Acorda Taiobeiras



Manifestação Acorda Taiobeiras - 22/06/2013

No dia 22 (vinte e dois) de junho de 2013 (dois mil e treze) na cidade de Taiobeiras – MG ocorreu uma manifestação com pouco mais de 40 pessoas envolvidas. Motivados pelas manifestações ocorridas em todo o país, os manifestantes se expressaram em cartazes e palavras de ordem suas indignações. Em pesquisa realizada na manifestação pela Empresa Júnior de Estudo e Pesquisa Social – EJEPS/”DATAMONTES”, do curso de Ciências Sociais – UNIMONTES, fez entrevista com 30 (trinta) manifestantes, correspondendo margem de erro de 10% do total de manifestantes presentes os dados apresentados nos dados coletados.
Manifestação Acorda Taiobeiras - 22/06/2013
            O perfil dos manifestantes eram: 77% do sexo masculinos, 66,7% com idade entre 15 á 19 anos, 30% residentes no Centro da cidade, e quanto mais afastado da região central cai o número de manifestantes, inclusive sem representações da zona rural. 56,7% responderam que a renda familiar mensal é entre 1 á 3 salários mínimos. 56,6% são concluintes do ensino médio, e 36,7% ainda estão fazendo, assim 46,7% são estudantes, e 10% desempregado, onde
43,3% corresponde empregados, autônomos e funcionários públicos, em relação a definição de etnia/cor 50% se consideram brancos, 13,3% negros e 36,7% pardos. Dentro desse perfil percebemos um público parecido com manifestações na maioria dos lugares em todo o Brasil que vem ocorrendo frequentemente manifestações.
Manifestação Acorda Taiobeiras - 22/06/2013
            Jovens, boa parte estudante e um número significante de desempregados, com diversas indignações como apresentadas por eles como: corrupção; saúde; educação; segurança pública. Indignações estas parecidas como a de vários lugares do país, uma insatisfação que se apresenta como o nível de satisfação aos governos municipal, estadual e federal, como apresenta as tabelas abaixo.

Tabela 10
Qual seu nível de satisfação em relação a política municipal?
 Variável
Frequência
Percentagem
Percentagem Válida
Péssima
6
20%
20,7%
Ruim
8
26,7%
27,6%
Regular
11
36,7%
37,9%
Boa
4
13,3%
13,8%
Total Válido
29
96,7%
100%
Não Respondeu
1
3,3%

Total
30
100%

Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013.
Gráfico 10
Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013.

Tabela 11
Qual seu nível de satisfação em relação a política estadual?
Variável
Frequência
Percentagem
Percentagem Válida
Péssima
11
36,7%
39,3%
Ruim
5
16,7%
17,9%
Regular
9
30%
32,1%
Boa
3
10%
10,7%
Total Válido
28
93,3%
100%
Não Respondeu
2
6,7%

Total
30
100%

Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013.
Gráfico 11
Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013.

Tabela 12
Qual seu nível de satisfação em relação a política federal?
 Variável
Frequência
Percentagem
Percentagem Válida
Péssima
9
30%
33,3%
Ruim
10
33,3%
37%
Regular
6
20%
22,2%
Boa
2
6,7%
7,4%
Total Válido
27
90%
100%
Não Respondeu
3
10%

Total
30
100%

Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013.
Gráfico 12
Fonte: EJEPS/”DATAMONTES” 2013. 

            È fácil de observar a indignação geral com todos os governos, já que todos apresentaram um porcentagem maior na avaliação entre péssimo e ruim. A rejeição maior ao governo federal não fica distante da rejeição ao governo estadual e nem o municipal, que tiveram média de rejeição ficou pouco mais de 50%, considerando que não teve nenhuma avaliação de ótima e média de menos de 10% de boa a satisfação com os governos, e isso é um demonstra que não é uma indignação específica a um governo ou um governante, mas sim a tudo e todos. Um ponto a observar é que a região mais central do município é a que mais rejeita o governo municipal. Os estudantes são os que mais avaliam negativamente os governos, mas se equilibram com avaliação neutra e positiva. Os autônomos avalia o governo federal mais negativo que o governo estadual, e os empregados rejeitam mais o governo estadual que o federal, e se equilibra na avaliação do governo municipal junto com os autônomos. Os desempregados rejeitam mais o governo estadual, mas mostram indignados com o governo federal e se apresenta mais neutros na avaliação ao governo municipal.
            A pauta mais específica dos manifestantes voltadas a cidade foi em relação os problemas com os animais (cachorros mais específico) que cresce cada vez mais o número deles espalhados pela cidade, sofrendo maus tratos e criando problemas de saúde. Outro ponto a precariedade da pavimentação das ruas na zona urbana, e o ponto mais questionado a Barragem de Berizal, que voltou a ser ponto de discussão com a seca do final do ano passado (2012), onde é vista como uma saída de combate à seca. A manifestação assim saiu nas ruas centrais da cidade, mesmo com um número pequeno, foi muito significativo já que o município não tem tradição e grupos fortes no que se trata de manifestação. Dos manifestantes apenas 6,7% eram filiados algum partido e 16,7% responderam que fazia parte algum movimento social/cultural.
            Um outro ponto a observar é que 60% dos manifestantes nunca foram em nenhuma reunião na Câmara Municipal, e 23,3% responderam que vão raramente. A presença dos manifestantes em conselhos e conferências é ainda maior o número dos que nunca foram, 80%, e só 16,7% responderam que participam raramente. Assim deixa a questão porque a participação do cidadão é tão pouca em lugares de discussão política tão importantes? E porque o número é tão restrito de participantes em manifestações no município de Taiobeiras? Essa ultima questão questiono ainda que sendo a maioria dos manifestantes corresponde a jovens, onde estão os jovens do município, principalmente aqueles já concluintes do ensino médio? As indignações se apresentam de acordo com muitas realidades vividas por todo o país, e não é rejeitada na cidade, talvez não seja uma grande manifestação, mas é valida e realista com os problemas de Taiobeiras e todo o Brasil.
Manifestação Acorda Taiobeiras - 22/06/2013

Destaque